PROTEGENDO CABORA-BASSA


Distrito de Tete, Província Ultramarina de Moçambique
1971-72

Um dos militares afecto à Companhia de Caçadores 2758 (CCac2758) a operar com o Batalhão de Caçadores 3843 (BCAÇ 3843) do Exército Português, no Distrito de Tete, na Província Ultramarina de Moçambique, em 1971-72, com um helicóptero "Alouette" III (ALIII) da Força Aérea Portuguesa (FAP) em segundo plano.

O "caçador" está armado com uma espingarda automática G3 A3, em calibre 7,62×51mm NATO, com a designação formal das Forças Armadas Portuguesas de "Espingarda automática 7,62 mm G3 m/961". A mesma está equipada com um dilagrama (com uma munição adicional visível mais à direita na foto).

O dilagrama (m/965) é um dispositivo colocado no cano da arma, equipado com uma granada de mão defensiva (m/63), e que recorre a uma munição de salva específica para o efeito, cuja acumulação gases propulsiona a granada a uma distância superior àquela que o militar conseguiria por projecção manual.

O BCAÇ 3843 teve a sua área de intervenção, no Distrito de Tete, em redor da barragem de Cabora-Bassa, com 3 companhias na margem Norte e uma companhia na margem Sul. A Companhia de Caçadores 3356, a Nordeste, em Cantina de Oliveira (SPM 5664); a Companhia de Comando e Serviços (CCS) numa posição central em Chipera (SPM 5644); a Companhia de Caçadores 3357 mais a Leste em Chiringa (SPM 5674); e, a Sudeste do Songo, na Margem Sul, em Estima (SPM 5654), a Companhia de Caçadores 3355.

Chipera ( geo-referenciação -15.479468947085797, 32.487174588993305 , https://goo.gl/maps/cpwWzL48NpysnZKA6 ) é um povoado a cerca de 8 km a Norte da albufeira de Cabora-Bassa e a cerca de 30 km a Noroeste do paredão da barragem, junto ao Songo, em Moçambique.

Foto por Furriel Miliciano Victor Pessa via CCS BCAÇ 3843

Comentários

Mensagens populares deste blogue

SUBMARINO ESPANHOL DISPARA TORPEDOS DE ENSAIO

"DRONE" DE FABRICO PORTUGUÊS NA UCRÂNIA

KA-52 NO ASSALTO AO AEROPORTO "ANTONOV"