PORTA-AVIÕES RECEBE ABASTECIMENTOS


Oceano Pacífico
14 de Dezembro de 2022

Vista a partir do convés inferior do porta-aviões USS Nimitz (CVN 68) da Marinha dos Estados Unidos ("U.S. Navy") no decurso de operações de reabastecimento a partir do USNS Guadalupe (T-AO 200), no Oceano Pacífico, a 14 de Dezembro de 2022. À esquerda na foto, com o número de matrícula 504 (afecto ao VAQ-139, "Electronic Attack Squadron 139"), temos um EA-18G "Growler", uma aeronave de 2 lugares, a versão de guerra electrónica do F/A-18F. À direita, com os números de matrícula 410 e 404, temos dois F/A-18E "Super Hornet" (afectos ao VFA-137, "Strike Fighter Squadron 137").

O USS Nimitz (CVN 68) é uma porta-aviões da classe Nimitz, ao serviço desde 1975 (renovado em 2001), deslocando 100 020 toneladas, com um comprimento de 332 metros e uma boca de 76,8 metros. É propulsionado por 2 reactores nucleares Westinghouse A4W, que lhe permitem uma velocidade máxima de 31,5 nós. Tem uma guarnição de 6 000 elementos, transportando até 90 aeronaves. A classe Nimitz tem uma esperança de vida de cerca de 50 anos, pelo que esta unidade deverá iniciar o processo de retirada de serviço em 2025. A classe compreende actualmente 10 unidades construídas e ao serviço, tendo a mais recente, da subclasse Ronald Reagan, o USS George H.W. Bush (CVN-77), entrado ao serviço a 10 de Janeiro de 2009.

O USNS Guadalupe (T-AO-200) é uma navio de abastecimento da classe Henry J. Kaiser, deslocando 42 382 toneladas, com 206 metros de comprimento e uma boca de 27 metros. Ao serviço desde 25 de Setembro de 1992, tem um velocidade máxima de 20 nós, e uma capacidade de transporte de 180 000 barris de combustível ("fuel oil" e "jet fuel"); um espaço de 690 metros quadrados para carga; e espaço refrigerado para 128 paletes. Possui convés para helicóptero.

Foto por Lorenzo Fekieta-Martinez ("U.S. Navy")

Comentários

Mensagens populares deste blogue

SUBMARINO ESPANHOL DISPARA TORPEDOS DE ENSAIO

"DRONE" DE FABRICO PORTUGUÊS NA UCRÂNIA

Formação de 6 navios da Marinha da Federação Russa acompanhados por meios aeronavais da Marinha e Força Aérea Portuguesas