"DRONE" NAVAL AMERICANO EM OPERAÇÃO EM ORMUZ


Estreito de Ormuz
6 de Agosto de 2023

Em primeiro plano temos uma embarcação não tripulada, vuldo "drone naval", L3Harris "Arabian Fox" MAST-13, com o número de amura 55, afecta à "Task Force 59" da Marinha dos Estados Unidos, a acompanhar o navio da Guarda Costeira dos Estados Unidos USCGC "Charles Moulthrope" (número de amura 1141), o navio de transporte de carga USND "Amelia Earhart" (número de amura 6) e o "destroyer" da classe "Arleigh Burke", USS "Thomas Hudner" (número de amura 116), em trânsito pelo Estreito de Ormuz (entre o Golfo de Omã e o Golfo Pérsico), a 6 de Agosto de 2023.

O "Arabian Fox" (designação honorífica à raposa "Vulpes vulpes arabica" da península arábica) é uma embarcação não tripulada, de vigilância e reconhecimento, desenvolvida e construída pela norte-americana L3Harris, com 12,7 metros (41 pés) de comprimento, 3,5 metros de boca e 70 cm de calado, de 10 toneladas, e que incopora a plataforma naval electro-óptica WESCAM MX™-10MS (imagem e vídeo em alta resolução, sensor de infra-vermelho, "software" de modelização e de inteligência artificial) e a plataforma de radio táctica FALCON. Está equipada com dois motores diseel que alimentam plataforma de propulsão por "waterjet" que lhe permitem uma velocidade de 40 nós. Pode operar continuamente durante 36 horas. Foi já antes referenciada a operar no Teatro de Operações do Golfo Pérsico sob a égide da "Task Force 59" em articulação com os demais meios da 5.ª Esquadra da Marinha dos Estados Unidos e da Guarda Costeira dos Estados Unidos, designadamente, em Janeiro de 2023, durante o exercício "Neon Defender" e, em Novembro de 2022, durante o exercício "Digital Horizon".

A "Task Force 59" (TF59) da Marinha dos Estados Unidos foi criada em Setembro de 2021, dedicada a meios não tripulados e à sua integração em plataformas de inteligência artificial, especialmente focada no contexto táctico e estratégico do Médio-Oriente, operando a partir do Bahrain (onde os EUA mantêm presença militar permanente há mais de 5 décadas). Alcancou plena capacidade operacional em Janeiro de 2023, sendo comandada actualmente por Colin Corridan (Capt.). A TF59 tem como objectivo alcançar, até ao final do Verão de 2023, o número de 100 "drones" militares em operação neste Teatro de Operações - onde opera em parceria com a Marinha do Reino Unido ("Royal Navy") e com a Marinha Francesa ("Marine Nationale").

A 1 de Setembro de 2022, a fragata da Marinha Iraniana, IRIS "Jamaran" (76), capturou, em águas internacionais do Mar Vermelho, duas embarcações não tripuladas "Saildrone Explorer" (números de amura 5902 e 5903) da Marinha dos Estados Unidos. Após comunicação prolongada entre as Forças Americanas e as Forças Iranianas, e com a intercepção por 2 "destroyers" da classe "Arleigh-Burke", cerca das 08h00 locais, de 2 de Setembro, as forças iranianas libertariam estes dois "drones" navais, ref. https://fb.watch/mot0QtAhFF/ . Antes, a 29 de Agosto de 2022, em águas internacionais da região central do Golfo Pérsico, o navio de suporte "Shahid Baziar", da Marinha do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica do Irão, rebocou uma embarcação não tripulada "Saildrone Explorer" da Marinha dos Estados Unidos, ref. https://fb.watch/fiUzatNC9a/ , que acabariam por libertar, ao final de 4 horas desde o início da respectiva acção (após intercepção por meios da 5.ª Esquadra da Marinha dos Estados Unidos).

Foto via Comando Central das Forças Navais dos Estados Unidos (NAVCENT, "United States Naval Forces Central Command")

Comentários

Mensagens populares deste blogue

SUBMARINO ESPANHOL DISPARA TORPEDOS DE ENSAIO

"DRONE" DE FABRICO PORTUGUÊS NA UCRÂNIA

Formação de 6 navios da Marinha da Federação Russa acompanhados por meios aeronavais da Marinha e Força Aérea Portuguesas