TROCA DE MOTOR A UM BOMBARDEIRO B1 EM BASE NO REINO-UNIDO


Fairford, Reino Unido
1 de Novembro de 2023

As equipas de suporte especializado de terra da 9.ª Esquadra Expedicionária de Bombardeiros (alcunhada de "Morcegos") da Força Aérea dos Estados Unidos, na Base Aérea de Fairford, no Reino Unido, procedem à troca de um dos 4 motores de um dos seus bombardeiros estratégicos B1-B "Lancer" (86-0124) que, parte de um destacamento de 4 unidades (86-0103, 86-0107, 86-0119 e 86-0124) integrados na Força Tarefa de Bombardeiros (BTF 24-1), estão, desde 19 de Outubro de 2023, a operar no contexto do Teatro de Operações Europeu.

Um motor General Electric F101-GE-102, que equipa em exclusivo estes bombardeiros, tem um comprimento de 4,6 metros, um diâmetro de 1,4 metros e um peso de 2 toneladas.

O B-1 B"Lancer" é um bombardeiro estratégico, quadrimotor, supersónico, com asas de geometria variável, originalmente ao serviço desde 1986, e com um efectivo, em 2021, de 45 unidades ao serviço da Força Aérea dos Estados Unidos. Tripulado por 4 elementos (Comandante, Piloto, Especialista de Sistemas Ofensivos e Especialista de Sistemas Defensivos), tem um comprimento de 45 metros e uma envergadura máxima de asa de 24 metros. Com um peso em vazio de 87 toneladas pode suportar um peso máximo à descolagem de 216 toneladas. Propulsioando por 4 motores General Electric F101-GE-102 (com "afterburner") alcança uma velocidade máxima de 1 335 km/h tem um tecto de altitude máxima de 18 000 metros. Sustenta um alcance operacional de 9 400 km (transportando 17 toneladas de armamento) até 12 000 km (em trânsito). Pode ser equipado com diferentes combinações de armamento (bombas guiadas, minas navais, mísseis de cruzeiro) em 6 pontos exteriores (até 23 toneladas) e em 3 baias interiores (até 34 toneladas).

Foto por Ryan Hayman | Força Aérea dos Estados Unidos ("U.S. Air Force")

Comentários

Mensagens populares deste blogue

SUBMARINO ESPANHOL DISPARA TORPEDOS DE ENSAIO

"DRONE" DE FABRICO PORTUGUÊS NA UCRÂNIA

Formação de 6 navios da Marinha da Federação Russa acompanhados por meios aeronavais da Marinha e Força Aérea Portuguesas