1941 - DESTRUIÇÃO DA BARRAGEM DE ZAPORIZHZHIA


Zaporizhzhia, Ucrânia, URSS
18 de Agosto de 1941

Em plena 2.ª Guerra Mundial, a 18 de Agosto de 1941, a barragem de Zaporizhzia ("Запоріжжя") sobre o Rio Dnipro ("Дніпро"), na República Socialista Soviética da Ucrânia, em resultado da detonação de uma carga de 20 toneladas de explosivos, via aberta uma brecha de 165 metros no seu paredão de 600 metros. Além da aplicação e detonação das cargas explosivas sobre o paredão, as turbinas da componente hidroeléctrica da mesma barragem foram antes sabotadas (retirando a distribuição de lubrificante às mesmas quando em plena e continuada rotação), a 3 de Julho de 1941.

Numa operação coordenada por Boris Alexandrovich Epov, Tenente-Coronel de Engenharia do 157.º Regimento de Guarda do NKVD, da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), a detonação das cargas teve lugar pelas 20:00 a 20:30 de 18 de Agosto de 1941, sob instruções directas de Joseph Stalin (Secretário Geral do Partido Comunista da URSS e Comandante Supremo das Forças Armadas) e de Borys Shaposhnikov (Chefe de Estado Maior General do Exército), preparada e conduzida "hands-on" pelos operacionais do NKVD, sapadores, sob comando do Tenente-Coronel A. F. Petrovsky. O comissário político soviético responsável por este sector do Teatro de Operações, em articulação com o 18.º Exército, era então Leonid Brezhnev, que viria a ser Secretário Geral do Partido Comunista da URSS de 1962 a 1982.

Visava esta destruição impedir o avanço sobre a cidade e região de Zaporizhzhia por parte das Forças Armadas Alemãs - dais quais as Forças da URSS estavam naquele momento a retirar. Além do efeito destrutivo por torrente e alagamento, a perda do paredão cortava também a estrutura viária assente sobre o mesmo, impedindo a travessia de pessoas e viaturas. Sem aviso prévio e sem evacuação das populações, e mesmo das várias unidades militares da URSS a jusante, terão daqui resultado 80 000 mortos civis e 20 000 mortos militares (entre as próprias Forças Armadas da URSS).

As perdas entre as Forças Armadas Alemãs terão sido na ordem dos 1 500 homens que, 46 dias após a explosão, tomariam Zaporizhzhia e, 2 meses volvidos, reconstruíram o paredão e, no Verão de 1942, colocariam a componente hidroeléctrica novamente operacional. Ao retirarem desta posição, em Outubro de 1943, sob comando do Marechal de Campo ("Generalfeldmarschall") Erich von Manstein, as Forças Alemãs destruiriam as componentes técnicas da hidroléctrica mas mantendo o paredão intacto.

Uma década antes, a 5 de Dezembro de 1931, o mesmo Boris Alexandrovich Epov ("Борис Александрович Эпов") participava, como especialista em explosivos, com o seu professor de Engenharia Militar, Yevgeny Vladimirovich Antulaev, na destruição da Igreja do Cristo Redentor ("Храм Рождества Христова") em Moscovo, com o objectivo de em tal local ser construído o "Palácio dos Sovietes", desenhado pelo arquitecto Boris Mikhailovich Iofan - um arranha céus de 400 metros, encimado por uma estátua de Vladimir Lenin, de 100 metros. A igreja foi totalmente destruída. O "Palácio dos Sovietes" nunca foi construído. B. A. Epov receberia, em 1942-1943, a distinção nacional do Prémio de Estado de Stalin ("Государственная Сталинская премия", "Gosudarstvennaya Stalinskaya premiya").

Formado a 10 de Julho de 1934, o NKVD ("Naródnyy komissariát vnútrennikh del"; "Наро́дный комиссариа́т вну́тренних дел", НКВД; "Comissariado do Povo para os Assuntos Internos") desempenharia, no decurso da 2.ª Guerra Mundial, entre outras acções e atribuições, missões de sabotagem sobre infraestruturas críticas, em particular nos territórios da Bielorrússia e da Ucrânia.

A barragem de Zaporizhzia, formalmente a Estação Hidroeléctrica do Dnipro ("ДніпроГЕС", "DniproHES"), geo-referenciação 47.869167, 35.086944 , ref. https://goo.gl/maps/ke3PnKUhQHdeDiwh8 , foi originalmente construída pela URSS entre 1927 e 1932, com apoio de 6 engenheiros norte-americanos da General Electric (que seriam agraciados pelo Estado Soviético com a "Ordem do Estandarte Vermelho do Trabalho", "Орден Трудового Красного Знамени"), sendo então, e actualmente, a maior barragem sobre o Rio Dnipro, e um elemento estratégico na produção de energia para toda a zona de indústria pesada da Ucrânia, com especial foco na siderurgia e na metalomecânica pesada. Em 1941 era a maior hidroeléctrica da Europa.

Foto via OSINT

Comentários

Mensagens populares deste blogue

SUBMARINO ESPANHOL DISPARA TORPEDOS DE ENSAIO

"DRONE" DE FABRICO PORTUGUÊS NA UCRÂNIA

KA-52 NO ASSALTO AO AEROPORTO "ANTONOV"