"DRONE" ATERRA EM A-50 RUSSO ESTACIONADO EM MINSK


Machulishchy, Bielorrúsia
26 de Fevereiro de 2023

Descolando a partir de um zona de bosque a cerca de 1 km do seu objectivo, um "drone" entra na Base Aérea de Machulishchy (geo-referenciação 53.7825931034367, 27.576218269959547 , https://goo.gl/maps/JTbZ3L8z5opEComS8 ), em Minsk, na Bieolorrússia, e aterra na secção superior do cockpit de uma aeronave de vigilância, comando, controle e comunicações (AWACS), um quadrimotor Beriev A-50, RF-50608, "43 Red", da Força Aérea da Federação Russa, a 26 de Fevereiro de 2023 (um Domingo).
Este vídeo foi divulgado depois de um outro, publicado um dia antes (ref. https://www.youtube.com/watch?v=-SoqX8YRJb4 ), mostrando um percurso similar (denotando-se que se trata de um dia diverso, dada, neste outro, a ausência de neve sobre o A-50 e sobre a pista), e em que o "drone" pousa sobre o radar circular de 9 metros de diâmetro no topo da fuselagem. Interrompe o funcionamento dos seus motores, retoma o mesmo e abandona a posição.
Segundo a informação prestada pela BYPOL ("Аб'яднанне сілавікоў Беларусі", "Associação de Forças de Segurança da Bielorrússia"), uma associação fundada em Outubro de 2020, com sede em Varsóvia, na Polónia, composta por (ex) membros dissidentes das forças de defesa e segurança da Bielorrússia, opositores ao regime liderado por Aliaksandar Lukashenka e que reclamam estas acções, o primeiro voo publicado corresponde a uma das acções de reconhecimento realizadas ao longo de 2 semanas e o presente vídeo corresponde a uma acção final destes "partisans" em que o drone, um DJI Mavic, de retalho comercial, transportaria um "payload" de alto-explosivo de fragmentação (composto por 200 gramas de TNT e 200 esferas metálicas) e que o final da transmissão corresponderá à sua detonação.




Da evidência recolhida posteriormente, via informações a partir de fontes abertas (OSINT), a ter existido de facto uma detonação e daí resultado danos sobre este A-50, os mesmos não são visíveis nas fotos de satélite comercial, nem outra evidência consistente como poderiam ser viaturas e equipamento de apoio às tarefas de identificação ou mitigação de tais danos.
O Beriev A-50 (designação NATO "Mainstay") tem 49,6 metros de comprimento, uma envergadura de asa de 50,5 metros, e um peso máximo à descolagem de 170 toneladas. Propulsionado por quatro motores Soloviev D-30KP, tem uma velocidade máxima de 900 km/h e um alcance operacional de 7 500 km com uma altitude máxima de 12 000 metros. Com o seu distintivo radar sobre a fuselagem, com um diâmetro de 9 metros, e com uma tripulação de 15 elementos, a sua operação de vigilância, comando, controle e comunicações (AWACS) consegue um alcance de detecção de 650 km para alvos aéreos e de 300 km para alvos terrestres.
No contexto do Teatro de Operações da Ucrânia, o A-50 desempenha um papel importante no acompanhamento das mesmas - seja no que concerne as acções de outras aeronaves da Federação Russa, como os Mikoyan MiG-31K (designação NATO "Foxhound") a operar a partir desta mesma base, e que são plataforma de lançamento de mísseis hipersónicos Kh-47M2 Kinzhal, seja para o acompanhamento das operação de ataque com mísseis de cruzeiro ou "drones".
Estima-se que a Federação Russa opere actualmente 10 unidades do A-50 (uma delas referenciada em operação no Teatro de Operações da Síria em Janeiro de 2022, ref.  https://espada-e-escudo.blogspot.com/2022/01/russos-e-sirios-em-operacao-aerea.html ) .
Vídeo via OSINT

Comentários

Mensagens populares deste blogue

SUBMARINO ESPANHOL DISPARA TORPEDOS DE ENSAIO

"DRONE" DE FABRICO PORTUGUÊS NA UCRÂNIA

Formação de 6 navios da Marinha da Federação Russa acompanhados por meios aeronavais da Marinha e Força Aérea Portuguesas