"JAGUARES" ATACAM PISTA LÍBIA


Ouadi-Doum, Chade
16 de Fevereiro de 1986

Os acordos de Creta, de Setembro de 1984, assinados entre os presidentes da Líbia e da França, Muammar Khadafy e François Mitterrand, estabeleciam que ambos os países deveriam retirar as respectivas forças armadas do Chade, assumindo o paralelo 16 como linha de separação efectiva. Em Fevereiro de 1986, forças do GUNT ("Gouvernement d'Union Nationale de Transition") apoiadas pelo regime Líbio, desencadeiam uma série de ataques, e a reacção das forças francesas, além do reforço dos seus militares no Sul do Chade ("Opération Epervier" a 13 de Fevereiro de 1986), determinaria um ataque à pista de Ouadi-Doum, construída pelos Líbios entre Novembro de 1984 e Outubro de 1985, e de importância estratégica para os mesmos - dado que a partir dela não só poderiam suportar toda uma série de acções ofensivas em apoio aos militares em progressão no terreno, como os seus bombardeiros poderiam alcançar N'Djamena, a capital do Chade, de forma mais próxima.

O ataque à pista de Ouadi-Doum (18° 31′ 42″ Norte, 20° 11′ 20″ Este) seria levado a cabo pela Força Aérea Francesa, a 16 de Fevereiro de 1986, com 11 aeronaves de ataque "Jaguar" A91 do 1.º esquadrão ("Roussilon") da 11.ª Esquadra (EC 1/11), a operar a partir da base de Bangui - 7 equipados, em posição central, com 12 bombas BAP 100 ("Bombe Anti-Piste" 100 mm; "clusters" especializados anti-pista, com 18 sub-munições cada) e dois "drop tanks" de 1 200 litros; e 4 equipados, sob as asas, com 4 (2 x 2) bombas de 250 kg, de queda retardada, e um tanque central de 1 200 litros; todos equipados com meios de protecção electrónica e câmaras de 180 graus, Omera 40, para documentar, em filme, o ataque. Inicialmente estavam planeados 12 aviões "Jaguar" mas um deles sofreu uma avaria na (pré-)descolagem.

O reabastecimento em voo esteve a cargo de 6 Boeing KC-135 Stratotanker (C135F), escoltados por 4 caças Dassault Mirage F1C. Para suporte de comando, controlo e comunicações, um Breguet Br.1150 Atlantic (PC), afecto ao General Jean-Jacques Brun, que comandou toda a operação. Em prontidão, para eventual necessidade de busca e salvamento de combate, estava um helicóptero Aérospatiale SA 330 "Puma" .

Voando a baixa altitude para evitar, até ao derradeiro momento, a detecção pelos radares Líbios, o ataque à pista, às 07:55, teria a duração de 1 minuto, com uma única passagem dos "Jaguares" e alcançou o objectivo de deixar a pista danificada e temporariamente inoperacional. Dois dos "Jaguares", por projecção de estilhaços, sofreram danos menores, tendo regressado sem problemas a Bangui (na República Centro-Africana).

Fotos via Jean-Jacques Brun e André Carbon | "11e Escadre de Chasse, Armée de l'Air Française". Composição e edição por "Espada & Escudo"

Comentários

Mensagens populares deste blogue

SUBMARINO ESPANHOL DISPARA TORPEDOS DE ENSAIO

"DRONE" DE FABRICO PORTUGUÊS NA UCRÂNIA

Formação de 6 navios da Marinha da Federação Russa acompanhados por meios aeronavais da Marinha e Força Aérea Portuguesas