A BATALHA DE MARAWI


Marawi, Lanao del Sur, Filipinas
23 de Maio a 23 de Outubro de 2017

Ao longo de 5 meses, entre 23 de Maio e 23 de Outubro de de 2017, teve lugar a Batalha (ou Cerco) de Marawi, na província de Lanao del Sur, nas Filipinas, opondo as Forças Armadas das Filipinas a extremistas do Estado Islâmico (afectos ao movimento Abu Sayyaf, comandado por Isnilon Hapilon, e do grupo Maute, comandados por Omar Maute).
Os confrontos iniciaram-se após uma operação das forças Filipinas visando capturar Isnilon Hapilon que, com forte oposição dos elementos do seu movimento e reforços do Grupo Maute, desencadeou uma forte resposta armada e escalou para a ocupação pelos mesmos da Câmara Municipal, Universidade, Hospital , Prisão, a Catedral de María Auxiliadora, a escola Ninoy Aquino e o liceu Dansalan, fazendo inúmeros reféns.
Nesta cidade de 200 mil habitantes, estiveram envolvidos entre 3 a 6 mil operacionais das forças Filipinas enfrentando cerca de 1 milhar de elementos do Estado Islâmico. As forças filipinas registaram 168 mortos e mais de 1 400 feridos, tendo capturado 12 insurgentes e morto mais de 900. Entre a população civil registaram-se 87 mortos e, alastrando o medo e insegurança a toda a província, mais de 1 milhão de deslocados.
A 17 de Outubro de 2017, Omar Maute e Isnilon Hapilon foram declarados mortos pela forças Filipinas (numa acção dos "snipers" da "4th Light Reaction Company" e dos "rangers" do "3rd Scout Ranger ‘Excelsior’ Battalion"), e cerca de 1 semana depois a cidade de Marawi, já sob controlo das autoridades de Manila, via terminadas as acções de combate.



No video, produzido pelo Comando das Forças Especiais das Forças armadas das Filipinas, (AFPSOCOM, "Armed Forces of the Philippines Special Operations Command"), cuja insígnia, com uma flecha vertical, surge no canto inferior direito, podemos ver alguns momentos das acções dos insurgentes (a partir de filmagens capturadas) e as acções de diferentes unidades filipinas (apoiadas por viaturas blindadas e aviação). Na Batalha de Marawi estiverem envolvidas a maioria das unidades de operações especiais filipinas, sendo de destacar o "Scout Ranger Regiment", os "Marine Special Operations Group" (MARSOG) e o "Light Reaction Regiment".
A apoiar as forças armadas Filipinas, com envolvimento de suporte e acção indirecta, estiveram presentes militares das operações especiais dos EUA: "1st Special Forces Group (1st SFG)", "Navy SEALs", "Navy SWCC" (apoio técnico) e "Marine Raiders".
A batalha deixou a cidade em ruínas, com a destruição de 95% de todas as estruturas edificadas num raio de 4 quilómetros quadrados, com mais de 3 mil edifícios completamente destruídos e perto de 2 mil no limiar da ruína.
Video via AFPSOCOM

Comentários

Mensagens populares deste blogue

SUBMARINO ESPANHOL DISPARA TORPEDOS DE ENSAIO

"DRONE" DE FABRICO PORTUGUÊS NA UCRÂNIA

Formação de 6 navios da Marinha da Federação Russa acompanhados por meios aeronavais da Marinha e Força Aérea Portuguesas