MARINHA PORTUGUESA EM OPERAÇÃO DE MANUTENÇÃO A BÓIAS PARAMÉTRICAS NO CANHÃO DA NAZARÉ


Nazaré, Portugal
21 de Março a 24 de Abril de 2021

NRP Almirante Gago Coutinho (A523), classe D. Carlos I da Marinha Portuguesa, em operação de manutenção (com recolha e fundeamento) sobre duas bóias multiparamétricas - uma oceânica (Monican01 - CSA88/1; 39°30.9' N Latitude, 009°38.2' W Longitude; profundidade de 2 000 metros) e, presente na foto, uma costeira (Monican02 - CSA88/2; 39°33.6' N Latitude, 009°12.6' W Longitude, profundidade de 90 metros), na Nazaré, Portugal, em Março-Abril de 2021. Estas bóias fazem parte do MONIZEE, o Sistema de Monitorização e Previsão Operacional da Zona Económica Exclusiva, operado pelo Instituto Hidrográfico (IH) da Marinha Portuguesa desde 2017.

Estas bóias multiparamétricas "Wavescan", do fabricante Fugro Oceanor, estão aqui equipadas com sensores que permitem medição da agitação marítima, da temperatura da água, a recolha de parâmetros meteorológicos e da corrente na coluna de água - bem como com sistema de comunicação rádio para transmissão dos dados recolhidos. Têm uma massa de 924 kg, um diâmetro de 2,8 metros, uma altura de 6,75 metros (com mastro). Estão equipadas com painéis solares (80W) que alimentam um bloco principal de baterias e com "backup" de baterias de lítio. Podem suportar comunicações via satélite (Inmarsat-C, ORBCOMM e ARGOS), GSM e rádio UHF/VHF.

O IH opera actualmente 5 destas bóias - uma ao largo de Leixões, duas ao largo da Nazaré, uma ao largo de Sines e uma ao largo de Faro. Em https://www.hidrografico.pt/boias pode ser consultada a informação (da última leitura e do histórico de 1 semana) de altura significativa e máxima da ondulação, o respectivo período médio (com décimas de segundo), a sua direcção e a temperatura da água (com décimas de grau). Além das 4 bóias multiparamétricas "Wavescan", o IH opera, no âmbito MONIZEE, 11 outras localizações equipadas com bóias ondógrafo direccionais (ODAS) Datawell Waverider, de fabrico holandês (3 na Costa Continenal, 5 na Região Autónoma dos Açores e 3 na Região Autónoma da Madeira), bem como um conjunto de estações maregráficas, estações meteorológicas e radares HF ("High Frequency").

Adquirido aos EUA, então USNS "Assurance", com o número de amura 5, parte da respectiva classe "Stalwart" de navios de vigilância oceanográfica, e após um período de serviço nos EUA de 1985 a 1995, chegou a Portugal em 1999. Em Maio de 2007 foi terminado o processo de instalação de equipamentos e de conversão num navio hidrográfico. O NRP Almirante Gago Coutinho (A523) desloca 2 285 toneladas, com um comprimento de 68,3 metros, uma boca de 13,1 metros e um calado máximo de 5,6 metros. Tem uma velocidade máxima de 10 nós. A sua guarnição é composta por 6 oficiais, 7 sargentos e 21 praças. É actualmente, e desde 2021, comando pelo Capitão-Tenente Sérgio Franco Leitão.

Está equipado com sistemas sondadores multifeixe, com perfilador acústico de correntes, perfilador de sedimentos e perfiladores de velocidade de propagação do som na água. Executa missões de levantamento hidrográfico até aos 11 000 metros de profundidade. Participa activamente no observatório submarino do Canhão da Nazaré ( ref. https://monican.hidrografico.pt/ ), implementado entre 2008 e 2011, e no suporte aos trabalhos de extensão da plataforma continental.

O Instituto Hidrográfico criado em 22 de Setembro de 1960 é dirigido actualmente, e desde 25 de Outubro de 2022, pelo Contra-almirante João Paulo Ramalho Marreiros na directa dependência do Chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA).

Foto por Francisco Pacheco | Marinha Portuguesa







Diagrama de tipologias de fundeamento e amarração das bóias "Wavescan" ao fundo oceânico.
Via Fugro Oceanor | GEOS



Comentários

Mensagens populares deste blogue

SUBMARINO ESPANHOL DISPARA TORPEDOS DE ENSAIO

"DRONE" DE FABRICO PORTUGUÊS NA UCRÂNIA

KA-52 NO ASSALTO AO AEROPORTO "ANTONOV"